Setembro/2012

abr28

0

Pequenas mensagens para reflexão diária.

Não desperdice seus talentos por medo ou vergonha. Cada um de nós recebeu um dom para desenvolvê-lo em benefício de todos. Não existe valoração de talentos. Todos são importantes. Saber cozinhar, escrever, pintar, consertar coisas, cantar, ouvir, ensinar, desenhar, limpar e arrumar, ser mãe, passar roupas, construir casas, mexer em computador, costurar, fazer cálculos e tantas outras coisas são exemplos da forma como cada um pode colaborar com o crescimento da humanidade. Chegará o dia em que todos desenvolverão suas habilidades sem intuito de lucro, simplesmente pelo amor a si mesmo e ao seu semelhante, para contribuir com o bem-estar de todos. Prepare-se, desde já, para esse dia. Descubra o que você sabe fazer de melhor, seja o que for, e invista no seu potencial. A humanidade agradece, assim como você agradecerá a si mesmo pelo prazer de fazer bem-feito e, sem qualquer expectativa de retorno, perceber que ajudou alguém.

*****

Guarde suas energias para os momentos da vida que realmente valem a pena. Não gaste suas forças falando mal do outro, tripudiando, mentindo, brigando ou enganando. Silencie, deixe passar e aproveite as coisas boas que virão em seguida, como uma onda de luz a aquecer sua alma e alegrar os seus dias.

*****

Existem compromissos na Terra que temos que cumprir. A vida material é tão importante quanto a espiritual, porque é ela que nos permite vivenciar experiências que reverterão em benefício do nosso espírito. O que não podemos é cair na ilusão de que a matéria é a única coisa que importa, porque a matéria não é real, mas transitória, e tudo o que se acaba não pode ser o espelho da realidade. A verdadeira vida é invisível aos nossos olhos e se expande muito além da nossa estreita compreensão. São mundos e mundos que se sobrepõem em infinitas dimensões, cada qual vivendo em tempo e espaço próprios. É muita arrogância do ser humano negar a existência do que desconhece. O homem não é Deus, muito embora seja Deus ao mesmo tempo, porque é da sua centelha que provém a vida. Pode parecer contraditório, mas é assim mesmo. Esse entendimento dispensa explicações, porque sobrevém da maturidade da alma. Aqueles que já entendem sabem que devem respeitar todas as coisas, corpóreas ou não, porque elas são as ferramentas da obra divina. Colaborar nessa construção é tarefa que cabe a todos nós. Para isso, sem desprezar a vida material, devemos investir na espiritual, e vice-versa. Uma não pode caminhar sem a outra porque, no dia em que prescindirmos da matéria, não precisaremos mais estar aqui. Vida material e vida espiritual são faces da mesmíssima moeda que, em suma, é a essência própria da vida.

*****

Para falar com Deus, não são precisas palavras bonitas nem frases rebuscadas. Não é preciso nem dizer nada. Basta pensar e sentir com o coração, que ele estará presente. Deus sempre está lá, mesmo quando pensamos que nos distanciamos dele. Essa distância não existe, porque, se somos uma centelha divina, Deus vive eternamente dentro de nós.

*****

O amor não manda recado. Vem pessoalmente e toma conta do seu lugar, que é o coração do ser humano. Não tema se defrontar com ele, porque o amor, embora sincero e sem rodeios, não fere nem magoa. Quando machuca, não é amor em sua essência, mas paixão, apego, posse, fixação e coisas do gênero. O amor não faz cobranças nem ergue prisões. É livre, porque é de sua natureza fluir e deixar fluir. É reflexo da confiança e avesso ao medo. Não sente ciúme, porque ciúme é próprio dos inseguros, e amor de verdade não combina com insegurança. Quanto mais liberdade ele ganha, mais firme ele se torna, porque, se nada o prende, ele fica porque quer. Afinal, ele é o amor, e o amor é aquele que tudo pode, nada perde e vive para sempre.

*****

Todo mundo tem a chance de se modificar. Apesar de muitos ainda se deixarem levar pela ilusão do poder e da vaidade, a sabedoria da vida coloca no caminho de cada um a oportunidade da transformação. Para uns, ela vem em forma de sofrimento e dor. Para outros, é o milagre do amor. Por mais que pensemos em persistir no mal, a natureza nos força a seguir o curso da própria vida, e a natureza é sempre boa. Virar o jogo do destino nem sempre é fácil, mas é uma escolha da alma que é tocada, no mais fundo de sua essência, pela poderosa luz do amor. O fracasso é companhia constante daqueles que lutam contra seus próprios instintos primitivos e sua índole avassaladora, mas a vitória também se avizinha quando se acredita na força da fé. Vencer ou perder nesse jogo só depende da forma como cada avalia seus movimentos no tabuleiro da vida. O empate não é possível. É tudo ou nada. Jogando é que se descobre que a vitória e a derrota são como as caídas de um dado, onde o acaso não existe. O jogo só termina quando a alma vence. O momento em que isso acontece vai depender do quanto de experiências se ganha em cada partida. A vida é sempre um jogo, onde só existe um vencedor: você.

*****

A coisa mais fantástica da vida é saber que a morte não existe. Quem morre não desaparece, muda de lugar. Quem tem essa certeza jamais perde a esperança nem teme o inevitável. Pode sentir uma certa hesitação diante do aparente desconhecido, mas confia e sabe que essa é a viagem de volta ao lar, reencontro de velhos amigos e construção de novas oportunidades.

*****

Sempre que expuser suas opiniões, procure ser gentil. Todo mundo pode falar o que quiser, desde que o faça com educação. Quem é ríspido nada ganha, só perde. Perde o respeito, a boa vontade e a tolerância, e a única coisa que pode ganhar em troca é a irritação. Não atraia essa energia para você. Jogue na atmosfera o mesmo que deseja receber de volta. Quem não deseja um ambiente poluído não atira fumaça no ar. Faça o mesmo com as suas palavras. Seja, no mínimo, educado.

*****

A natureza não tem pressa nem se retarda. Em seu ritmo próprio, vai imprimindo a beleza da vida. E nós, como parte dessa mesma natureza, também devemos obedecer ao nosso ritmo individual. Nem tão depressa, nem tão devagar. Não devemos nos adiantar nem ficar para trás. Cada coisa deve ser vivida a seu tempo, com calma e paciência. Quem muito se afoba acaba fazendo as coisas de qualquer jeito e corre o risco de ter que fazer de novo, para ficar bem-feito. Já o indolente vê a vida passar e, com ela, as oportunidades de crescimento. Sejamos como tudo na natureza. No nosso ritmo, tracemos as linhas do nosso destino, que não corre nem se atrasa, mas se realiza no tempo necessário à aquisição das nossas melhores experiências.

*****

A beleza e a feiura estão na alma de quem vê. Nossos olhos somente reconhecem as qualidades e defeitos que se refletem dentro de nós. Quem tem a alma boa busca olhar o melhor das pessoas. Já aqueles acostumados à crítica preferem enxergar apenas a imperfeição alheia. Em ambos os casos, o que se reconhece no outro é o que se espelha em si mesmo. Procure fazer dos seus olhos espelhos de irradiação e luz, e da sua palavra, o eco da voz dos anjos. Sem exageros nem pieguice, seja bom em tudo na vida, reconhecendo o melhor no outro através do que há de melhor em você.

*****

Todas as noites, reluzem as estrelas. Mesmo sem vê-las, elas estão lá… O que nossos olhares não alcançam, nem por isso, deixa de existir. Nossos olhos descansam, mas a vida não para de fluir. Enquanto o corpo adormece, o espírito não esmorece. Porque a luz que dele irradia faz das trevas eterno dia…

*****

Não é pecado sentir vaidade. Quem não gosta de se sentir bem, bonito, alto astral? Vaidade não é errado. O que não devemos é permitir que a vaidade ultrapasse o limite do razoável e se transforme em arrogância. A vaidade própria é reflexo do autovalor. É saudável, nos faz buscar estar sempre bem, tanto física quanto espiritualmente. A arrogância, não. Nos transforma em seres mesquinhos, alimenta em nós a ilusão de que somos melhores do que o outro, mais bonitos, mais elegantes, mais tudo. Isso é uma mentira. Somos todos iguais, embora cada um goste de cuidar de si mesmo do seu jeitinho. Não vai nisso nada de errado. Seja vaidoso, mas tenha cuidado para que a vaidade não se transforme em algo maior do que você realmente é. Tenha uma vaidade positiva com relação aos valores que você conquistou, sem desmerecer ninguém. Apenas aquele que realmente conhece o seu valor está em condições de reconhecer o valor do outro. Quem tenta diminuir o seu próximo, na verdade, busca artifícios para fazer sobressair o que não tem. Essa é a vaidade perniciosa, mesquinha, artificial. Valorize a si mesmo, sabendo que todo mundo tem o seu valor, ainda que diferente do seu.

*****

Abandonar é um gesto de profundo desamor. Não falo apenas do abandono físico, material, mas do abandono afetivo, que afasta pais e filhos, irmãos, amigos, marido e mulher… Muitas vezes, estamos tão ocupados vivendo nossas próprias vidas, que nem percebemos que nos distanciamos daqueles que nos rodeiam, esquecendo-nos de dizer uma palavra amiga, dar um abraço, um bom dia, fazer um elogio ou demonstrar interesse pelas coisas aparentemente sem importância para nós, mas que representam muito para o outro. Não custa nada perguntar aos pais como foi o seu dia. Dar um telefonema aos avós ou à tia solitária, para saber como estão passando. Elogiar a comida feita com tanto carinho para nós, ainda que seja a mesma de todos os dias. Arranjar um tempinho para saber como estão indo as crianças na escola. Agindo assim, demonstramos afeto e não incorremos nesse abandono silencioso, que não aparece, mas que dói muito para quem o sente. Lembremo-nos sempre de que o exemplo que damos hoje se transformará na atitude que receberemos amanhã.

*****

A todo instante, servimos de instrumento para as ações do mundo invisível. Quando nosso coração vibra coisas boas, espíritos iluminados se utilizam das nossas palavras e atitudes para levar o bem a pessoas que nem conhecemos. Um simples elogio pode salvar a vida de quem se julga inútil ou indesejável, por exemplo. Do mesmo modo, quando nos envenenamos com sentimentos daninhos, acabamos nos disponibilizando para os espíritos das sombras, que, através da nossa arrogância, má vontade ou ciúme, atacam nossos semelhantes com a fúria roubada de nós. Sejamos razoáveis, ponderados, sábios. Não temos que nos prestar à obra do submundo astral. Procuremos, através da oração e do exercício diário, modificar nossas atitudes, para que sejamos sempre chamados ao serviço do bem. Quem não gosta de colaborar com os espíritos de luz? Quem não quer ajudar seu semelhante? O cuidado diário com nossos pensamentos e sentimentos é que nos faz magnetizar energias de luz ou de trevas. É nossa escolha, somente nossa. Façamos o possível para sintonizar com as energias mais puras do universo. Os maiores beneficiados seremos nós mesmos.

Comentários dos usuários(0):(incluir comentario)

Ainda não há comentários

Comentar: