Espírita, Sim, Mas Independente

set3

1

Nascemos para ser livres… Livres de dogmas, imposições, preconceitos. Isso se reflete em tudo na nossa vida, inclusive, na religião. Todas as religiões são boas e conduzem a Deus. Mas eu… não sei… gosto de ser independente…

Não tenho compromisso com nenhum segmento religioso. Respeito todas as religiões, não acho que uma seja melhor do que a outra. Mas, atualmente, prefiro não me filiar, propriamente, a nenhuma.

Não sigo dogmas nem rejeito qualquer novo conhecimento. Não tenho nada contra filosofias que diferem da minha. Ao contrário, gosto de aprender tudo.

Procuro manter a mente aberta para novos conceitos, novas visões. Não acredito em castigos, em carma imutável, em erros condenáveis, em expugar ou resgatar dívidas.

Acredito na reencarnação como forma de experienciar a vida para aprender. Acredito que ninguém deve nada a ninguém, a não ser à própria consciência. Acredito que tudo é válido quando o objetivo é fazer o bem.

Acho que cada um deve ser livre para escolher o próprio caminho, em todos os sentidos. Não me agrada muito quando algum dirigente religioso diz que precisa ler um livro antes, para ver se ele é adequado ou não a seus seguidores. Que cada um decida, por si, se aquele livro é adequado ou não aos seus princípios. Não me agrada nenhum tipo de controle ou preconceito.

Existem coisas que prezo mais do que a quaisquer outras: amor, respeito, sinceridade, honestidade, bondade, espontaneidade e LIBERDADE!

Respeito e admiro Allan Kardec, que não é propriedade nem exclusividade de ninguém. Mas, cá entre nós, algumas coisas precisam de uma releitura. Não estamos mais vivendo em 1850, os tempos são outros.

É tempo de espiritismo independente.

Comentários dos usuários(1):(incluir comentario)

  1. Aline Eleuterio em 04 de outubro de 2013, disse:

    Olá Mônica! Gostei muito do que você escreveu aqui. Também acredito que nascemos para sermos livres. Sem dogmas e imposições que nos faz acreditar no que é “certo” ou “errado”. Sim, certo e errado entre aspas porque isso é muito relativo, porém, muitas religiões tentam impor o que entendem como correto e incorreto na cabeça dos fiéis como uma verdade absoluta. =/
    Eu fui criada em um berço católico, sempre professei dessa fé. Porém, chegou um momento que as dúvidas que pairavam em meu consciente não eram solucionadas. Além disso, questionava-me do porquê de diversas coisas em que acreditava e em que eu deveria acreditar. Então decidi seguir o que o meu coração vinha me dizendo há algum tempo. Fui conhecer o espiritismo. Por não entender e pouco conhecer a doutrina, tive medo, mas logo passei a me interessar pelo o que eu entendia. Hoje eu ainda tenho muitas dúvidas em minha cabeça, talvez elas nem tenham respostas no momento. Mas, como dizem: O mundo se move por perguntas e não por respostas, certo? =)
    Atualmente não me considero nem católica, nem espírita nem de qualquer outra religião. Gosto de ser livre, conhecer coisas novas e instigar ainda mais a minha curiosidade que nunca cansa de crescer.
    Acredito, tenho fé e amo Deus e suas obras. Acredito em um Deus maravilhoso que ama seus filhos e que os ensina a cada dia, através do livre arbítrio, com os erros e acertos. Nunca acreditei em um Deus punitivo, que nos castiga para nos fazer aprender. No entanto, penso que nossas atitudes são semeadoras e delas colheremos os frutos de amanhã. Acho também que devemos pautar nossas atitudes no amor, na justiça e na humildade. E sim, a caridade deve estar envolta de toda e qualquer atitude nossa. =)
    Bom, acho que escrevi bastante. =)
    Falando em escrever, tenho muita vontade de um dia escrever um, dois, três ou quem sabe vários livros… Mas isso é um outro assunto que conversaremos num outro momento(se você quiser e tiver disponibilidade, claro).
    Obrigada por me “escutar”. Até a próxima. =)

Comentar: